início | fale connosco | contactos | ajuda | mapa | rss
Página Inicial
Para visualizar as imagens rotativas tem que instalar o leitor de flash, clique aqui.
Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Categorias
Não existem destaques
 






Sarrabulho de Ponte de Lima: a gastronomia da tradição
10 de Fevereiro de 2011
Sarrabulho de Ponte de Lima: a gastronomia da tradição
Sarrabulho de Ponte de Lima: a gastronomia da tradição

BRITO, Nuno Vieira e; VALE, Ana Paula - Sarrabulho de Ponte de Lima: a gastronomia da tradição. Ponte de Lima: Município de Ponte de Lima [etc.], 2011. 136 p. ISBN: 978-9728846-35-0.

 

 

Preço: € 15,00 (inclui o valor da taxa de IVA legal em vigor)
Como encomendar: contacte-nos através do e-mail: arquivo@cm-pontedelima.pt.

 

 

Nota Introdutória:

Será difícil, senão mesmo impossível, conseguir associar a curiosidade académica e o percurso científico à motivação e gosto, mesmo, ao prazer pessoal. Descobrimos, felizmente agora, esse momento...

De uma iniciativa académica abordada em plano curricular, a proposta de qualificação do Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima percorre todo um percurso cívico que o Ensino Politécnico valoriza e promove junto da comunidade.

Ponte de Lima tem uma afinidade única com o Sarrabulho. Nasce-se em Ponte de Lima com o Sarrabulho; chega-se a Ponte de Lima e aprende-se Sarrabulho; namora-se em Ponte de Lima com o Sarrabulho; visita-se Ponte de Lima, também, pelo Sarrabulho.

O Sarrabulho é uma festa, a festa gastronómica de Ponte de Lima. Festa bem retratada por renomados e intemporais escritores, festa partilhada por toda uma população da Ribeira Lima, que respeita e conserva "velhos costumes e tradições": a matança do porco, os enchidos, o convívio prandial, o "tinto", a festa, sempre a festa...

Este é um primeiro contributo consolidado numa recolha de testemunhos orais e escritos e num trabalho de pesquisa que tem como objetivo a qualificação do Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima. Descobrir a receita ancestral, analisar processos de confeção e inovação, descrever o "estado da arte", permite, nesta fase inicial, valorizar o produto e promover a sua autenticidade e genuinidade.

Esta autenticidade e genuinidade são partilhadas e pretendidas por todos os protagonistas do Sarrabulho. Pelos consumidores, na descoberta da qualidade e da tradição; pela restauração, com o seu contributo particular na confeção e no cumprimento dos regulamentos relativos a questões de segurança alimentar; pela Confraria, preocupada com a manutenção da tradição e do "Bem-fazer"; pela Autarquia, que conserva tão importante legado.

É relevante valorizar o papel da Autarquia e particularmente o entusiasmo quer do seu anterior Presidente, Daniel Campelo quer do atual Presidente, Victor Mendes, na concretização desta Obra. De um projeto inicial, divulgação do Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima junto dos visitantes, o estímulo em mais encontrar, mais revelar e mais promover, persistiu em toda esta pesquisa.

A procura minuciosa de fontes, a recolha de informação dispersa, entrevistas e, finalmente, a descrição de todo o processo de fabrico do Sarrabulho (da matança à confeção) foi da responsabilidade da Eduarda Oliveira e da Gabriela Candeias, que incorporam, com perfeição, a “Alma da Mulher Minhota”.

A participação do Grupo Etnográfico e Folclórico de Refoios centrou-se numa bela encenação da matança, inspirada no mundo rural dos anos quarenta. Símbolo de uma ruralidade, que atualmente retrata usos e costumes, e a necessitar de encontrar novos rumos e dinâmicas, um verdadeiro compromisso entre eficiência, modernidade e tradição. A alegria de todos os participantes do Grupo testemunha-se nos cantares e dançares, na “festa da matança”, no preparar dos enchidos, na confeção e, enfim, no repasto,
verdadeira confraternização que o Sarrabulho preside.

A contribuição de distintas individualidades locais e nacionais muito valorizou este trabalho e, estamos certos que em cada um destes autores, de diferentes percursos, interesses pessoais e profissionais, surgiu, com toda a certeza, mais um “Embaixador do Sarrabulho”.

Finalmente, o excecional trabalho de coordenação editorial do Ovídio de Sousa Vieira, o génio fotográfico do Amândio de Sousa Vieira e a ousadia artística da Ângela Calheiros, deram forma a esta Obra que enaltecerá uma das tradições gastronómicas mais importantes da Ribeira Lima: o Sarrabulho à Moda de Ponte de Lima.

Terminemos com Theodore Zeldin: A Gastronomia é a Arte de utilizar a Alimentação para criar a Boa Disposição.

 

Nuno Vieira e Brito / Ana Paula Vale
Professores da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima

Palavras chaves
voltar
Imprimir Imprimir Enviar Enviar Partilhar
topo


Categorias